SENTIDO DE VIDA

       A busca pelo sentido de vida é uma constante na vida do ser humano, afinal, coisas comuns do dia a dia, como comer, beber e dormir já não é mais suficiente, conquistar novos horizontes, internos e externos, no nosso corpo e alma se faz necessário. Embora encontrar sentido tenha a ver com ligar-se a algo além de nós mesmos, isso também parece tocar algo fundamental dentro de nós. Para algumas pessoas isso se torna óbvio desde o início. Por exemplo, um chamado para ensinar, tornar-se escritor ou seguir uma fé em particular. Para outros, entretanto, é uma busca que pode durar toda a vida.
       E, nesta jornada, redescobrimos sentidos e damos significados para nossas ações, em uma busca permanente de equilíbrio das três grandes forças que habitam nosso ser, a força do pensar, sentir e agir. Contudo, essa jornada implica também em responsabilidade, ou seja, somos responsáveis pelo que fazemos ou deixamos de fazer. Agindo e pensando sobre nossas ações, transformamos a nossa realidade e a nós mesmos, encontrando sentido para nossas vidas. Somos imperfeitos e isso nos dá o potencial para aprendermos com os nossos próprios erros. O aprimoramento pessoal é essencial para aqueles que desejam uma vida com significado, quanto mais crescemos e nos descobrimos, além das barreiras do nosso próprio Ego e de uma autossatisfação rasa, percebemos que a felicidade precisa ser compartilhada. O propósito de vida é justamente o que cada um de nós tem a doar para o mundo.
       Isso acontece porque viver é um processo particular no qual cada indivíduo cria sua história, percepções, características, ideias e opiniões, tendo como base suas experiências, subjetividades, desejos, sentimentos e influências externas, e tudo isso se torna irrelevante quando não conseguimos compartilhar com outras pessoas.
       Entretanto, ter um sentido de vida não te priva de passar por momentos de incerteza ou de inadequação, pois na vida passamos por experiências difíceis e por vezes dolorosas, em razão de nos confrontarmos com medos e temores. Mas, é a força proveniente de um novo estado sonhado ou idealizado que traz a coragem para enfrentar estes períodos de transições.
       Viktor Frankl, o fundador da (logoterapia) fala um pouco sobre isso, ele foi um psiquiatra austríaco que vivenciou um dos piores períodos da história, na condição de prisioneiro de um campo de concentração nazista, escreveu um livro incrível chamado “Em Busca de Sentido” onde em um trecho ele diz: que nada proporciona melhor capacidade de superação e resistência aos problemas e dificuldades em geral do que a consciência de ter uma missão a cumprir na vida. Para Frankl, o sentido da vida surge a partir de um propósito, e ter um sentido fortalece o indivíduo em meio ao sofrimento.
       Contudo, vale ressaltar que não existe um manual para se obtê-lo e com ele descobrir a essência da vida, mas existem passos que você pode dar em busca de encontrá-lo. Entender que você é um ser único é a primeira etapa para encontrar um sentido para a vida. Apesar de ser possível compartilhar momentos, opiniões e desejos, ninguém é capaz de viver exatamente as mesmas experiências ou ter reações e sentimentos idênticos aos de outra pessoa. Cada indivíduo constrói o seu próprio significado de mundo, tendo que lidar com suas inseguranças e dúvidas em relação ao que está por vir.
       Ter um propósito, seja ele qual for, deve ser uma das prioridades de quem ainda não sabe como encontrar o sentido da vida. Essa motivação deve estar alinhada com suas crenças e valores, para que reflita de maneira significativa no seu desenvolvimento pessoal.
       Se você ainda não tem um sentido de vida, Frankl cita três formas para encontrá-lo:

1. Criando um projeto ou praticando um ato.
2. Experimentando algo ou encontrando alguém.
3. Tomando uma atitude de enfrentamento em relação ao sofrimento.

       Encontrar o seu propósito de vida pode ajudá-lo a encontrar o sentido da vida. Mas, lembre-se que, não adianta fazer muitas coisas, alcançar metas, traçar novos objetivos, se você nem sabe o porquê está fazendo tudo isso.
       Você já sabe qual é o seu propósito? Tem uma ideia do que dá sentido para a sua vida? Reflita sobre isso, internalize e vá em busca do teu próprio sentido de vida.
       Desejo que você possa encontrá-lo.

REFERÊNCIAS

FRANKL, V. E. Em busca de sentido: um psicólogo no campo de concentração.
Traduzido por Walter. O Schlupp e Carlos C. Aveline. São Leopoldo: Sinoldal.
Petrópolis. Vozes.48.ed. 2019..

CLER MEDVEDEFF
PSICÓLOGA CLÍNICA CRP 13/9071

Você pode também gostar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.